Marketing do Bem?

Você já ouviu falar do Marketing do Bem? Com tudo que ocorreu e ainda está ocorrendo neste ano relacionado a Marketing Multinível e Pirâmides financeiras, muita coisa tem sido dita e o Marketing Multinível, também conhecido como Marketing de Rede nunca esteve tão em destaque nos assuntos do dia a dia, seja, na Internet em grandes portais, jornais impressos e até mesmo na TV.

Uma coisa que aconteceu e que no mínimo é “curioso” é que com tudo isso, algumas pessoas resolveram fazer uma distinção para identificar o que é “Marketing do Mal” e o que é “Marketing do Bem”. Para isso foi criado um movimento chamado Marketing do Bem, que tem como principal idealista o conhecido Sérgio Buaiz. Segundo os defensores do Marketing do Bem, todas empresas que não se enquadram na cartilha criada pelo pessoal do Marketing do Bem deve ser considerada como pirâmide, ilegal, modelo não praticável, etc.

A princípio isto parece ser muito bom não é mesmo? Pois afinal parece que é algo criado por pessoas bem intencionadas para evitar que centenas ou milhares de pessoas percam dinheiro com pirâmides… Mas será que esta é realmente a intenção do pessoal do Marketing do Bem ou tem alguma coisa por trás de tudo isso? É isto que vamos analisar com calma neste artigo.

Quais Empresas se Enquadram no Marketing do Bem?

Vamos começar nossa análise verificando quais são as empresas que segundo estas pessoas dizem podem ser consideradas como “do bem”.

É interessante de notar que são todas empresas de Marketing Multinível tradicional e bem conhecidas de muitos como Herbalife, Forever Living, Mary Kay, Polishop e outras. E o que isto tem de errado? Nada, são todas empresas legalizadas que possuem produtos e serviços de qualidade, porém….Há uma diferença muito grande entre ser uma empresa legalizada, considerada como Marketing Multinível legítimo e ser considerada uma empresa “do Bem” e vou explicar isso mais pra frente..

Fica muito claro que na ideia dos idealizadores e todos que apoiam o tal Marketing do Bem, tudo que não se encaixar no modelo de negócios destas empresas tradicionais deve ser considerado pirâmide, falcatrua, etc e que as únicas empresas “boazinhas” nas quais as pessoas não correm riscos de perder dinheiro são estas que se enquadram no modelo deles……..
Mas posso afirmar sem medo de errar, que isto está muito, mas muito longe da verdade e do que realmente acontece.

Cartilha do Marketing do Bem

Antes de continuar vou comentar alguns pontos das coisas escritas na Cartilha do Marketing do Bem e outras informações que estão disponibilizadas no site deles, meus comentários estão em azul logo abaixo de cada ponto do Marketing do Bem:

“Marketing do Bem é um manifesto pela Venda Direta honesta e livre dos esquemas piramidais insustentáveis.”

O que define Venda Direta Honesta ? Empurrar produtos para uma pessoa leiga dizendo que ao fazer isto ela já entrará num “nível maior” é Venda Direta Honesta? Vender produtos por um preço extremamente alto dizendo que tem milhares de vantagens e qualidades que os outros não tem, quando na verdade existem produtos tão bons e melhores com preços menores? Bem tudo isto acontece em praticamente todas as empresas ditas do bem…

“Nosso objetivo é garantir um ambiente saudável para a construção de negócios legítimos, com oportunidades dignas de crescimento pessoal e financeiro para todos.”

Hum, aqui a coisa pega mais ainda. Vocês sabem a taxa de sucesso das pessoas que investem nos tais Marketing do Bem, e as taxas de retenção? São baixíssimas, normalmente apenas uns 5% dos que entram nestas empresas ganham realmente muito dinheiro, uns outros 5% talvez ganhe algum dinheiro e os demais 90% não ganham dinheiro ou perdem o dinheiro investido, isto é algo bem conhecido pela grande maioria e até nas informações oficiais das empresas são informados números parecidos com estes, tem um excelente artigo no blog Meu Dinheiro Em Casa no qual você pode ter uma ideia da taxa de sucesso das pessoas em algumas das empresas mais conhecidas enquadradas no tal Marketing do Bem.

“Acreditamos no diálogo, na livre concorrência, escolha e estilo, desde que mantidos o respeito e o interesse maior de proteger o futuro da nossa atividade.”

Esta é uma grande mentira, estas empresas ficam tão apreensivas quando surge algum negócio “diferente do tradicional” que quando começam a perder associados e distribuidores não demora muito e começam a tentar denegrir e falar mal das outras, não perdem tempo com isto..

“Fuja das empresas que bonificam sobre taxa de adesão, franquia ou qualquer investimento em “direitos de participação no negócio”, pois são pirâmides financeiras, independente dos produtos que distribuam e das táticas que se utilizem para disfarçar o golpe.”

Aqui concordo em partes, no caso de empresas que realmente pagam por adesão e não tem produto ou o produto/serviço é só para disfarçar a pirâmide o mais certo a fazer realmente é fugir dessas empresas, porém ao mesmo tempo, se uma determinada empresa surgir com produtos e serviços de verdade e qualidade e se a empresa além de bonificar sobre a venda dos serviços e produtos quiser bonificar as pessoas que indicarem novas pessoas para trabalhar na empresa, ou bonificar com um percentual sobre seus ganhos na venda dos serviços ou produtos, ou seja, dando direito de participação nos lucros da empresa eu pergunto:

Qual o problema disso ?

Vamos sair um pouco do “Nicho Marketing Multinível” para entender melhor esta questão. Pegando por exemplo um sistema de afiliados no qual donos de sites e blogs ganham um valor X por exibir anúncios dos anunciantes desta rede de afiliados em seus sites e blogs.

O dono deste sistema de afiliados, pensando em atrair mais afiliados pode pensar em criar um “sistema de indicação” no qual ele vai pagar um valor de por exemplo 2 reais para cada afiliado novo indicado ao sistema, para evitar que ocorram indicações falsas ele pode estipular que só serão creditados os 2 reais pelos indicados que se ativarem no sistema e gerarem um mínimo mensal em exibições de anúncios.

Ou poderia ser criado um sistema de indicação no qual os afiliados receberiam 10%  sobre os ganhos mensais que seus indicados fizerem no sistema com as exibições dos anúncios…

Pegando os exemplos acima, o que tem de ilegal em remunerar por adesão ou mensalidade, quando há produtos e serviços envolvidos ??

O que realmente não pode ocorrer é a empresa depender das adesões de novos membros para se manter, aí sim configuraria pirâmide, caso contrário, se há como pagar um bônus de adesão baseado na receita da empresa sobre serviço ou produto ligado a adesão então não deveria haver problemas.

“Saiba onde está se metendo. Dê preferência a empresas de Vendas Diretas já estabelecidas e testadas pelo mercado.”

Esta é mais uma grande falácia…Estas empresas “testadas pelo mercado” já quebraram e prejudicaram muitas pessoas também, tanto como qualquer pirâmide por aí e vou contar mais abaixo porque…

O Lado Negro das Empresas do Marketing do Bem

Nesta altura você já deve ter percebido por alguns comentários que eu fiz que estas empresas do Marketing do Bem na realidade não são tão do bem assim..

A verdade é que a maioria delas, principalmente as grandes e mais conhecidas tem um lado bem sombrio que não tem nada de bom. Para começar quase todas elas tem alguns pontos em comum:

  1. A empresa ganha dinheiro.
  2. Poucos Distribuidores ganham algum dinheiro.
  3. Uma grande maioria dos distribuidores ganham pouco ou acabam tendo prejuízo.
  4. Forçam ou tentam forçar as pessoas a consumirem produtos desnecessários.
  5. Na maioria os produtos são muito caros e superfaturados.
  6. Exigem compra mensal dos distribuidores para recebimento das comissões.
  7. Atraem as pessoas com promessas de independência financeira e trabalho em casa.

Como podem ver acima a coisa não é tão boa como querem fazer você acreditar que é. Além dos pontos citados acima ainda temos os “acontecimentos” que ocorrem nos eventos oficiais das empresas e “métodos”(picaretagem) utilizados pela maioria dos ditos grandes líderes destas empresas, embora não se possa culpar a empresa pelo que os distribuidores fazem, estas práticas são muito comuns e acontecem até mesmo em eventos oficiais da empresa.

Estou falando de coisas como fingir ter um padrão de vida elevado mostrando carrões e outros bens para iludir as pessoas de que ele conseguirá o  mesmo ao entrar no negócio ( e em muitos casos os carros são alugados, nem são da pessoa ), fazer de tudo para convencer as pessoas a entrarem no negócio investindo valores altos já de início e muito mais..

Na Herbalife por exemplo uma prática comum é atrair pessoas para os eventos da empresa chamados de STS e uma vez lá dentro eles fazem uma verdadeira lavagem cerebral na pessoa para que ela além de entrar no negócio já invista um valor de 10 mil reais ou mais em produtos para assim já se tornar supervisor. Muitas pessoas acabam fazendo empréstimos, vendendo carros, bens, etc para fazer isso. Tem um relato bem antigo na Internet mas que explica muito bem como são as coisas nos “bastidores” da Herbalife:

Depoimento de um Ex-Herbalife

Apesar de nunca ter trabalhado com a Herbalife, como trabalho com publicidade online eu posso confirmar esta questão do interesse de quase 99% dos distribuidores em fazer pessoas investirem dinheiro pra “comprar a supervisão”. Entre 2004 e 2006 eu fiz bastante publicidade para algumas pessoas que precisavam gerar prospectos, estas pessoas eram da Herbalife e eu mal conhecia sobre a empresa na época.Eu nunca fui de me meter no negócio dos outros, mas com o tempo e relacionamento comecei a fazer algumas perguntas e me foi revelado que o interesse deles era principalmente conseguir contato com pessoas dispostas a investir no mínimo 10 mil reais, o que bate com as informações acima…

O problema é que a maioria das pessoas não conseguem vender e ficam com o estoque encalhado, e pior, para não perder a supervisão precisam comprar  um valor x novamente no outro mês e assim em diante, informação esta bem como várias outras que escondem a 7 chaves da vítima pessoa que querem recrutar..  Para saber mais sobre o que realmente ocorre no Marketing do Bem da Herbalife recomendo o excelente site abaixo que aborda muito bem sobre o assunto:

Herbalife Não

Meu objetivo não é atacar empresa X ou Y, apenas citei a Herbalife por ser um dos casos mais conhecidos relacionado aos absurdos que ocorrem nas empresas ditas do bem, porém coisas semelhantes ocorrem em várias outras empresas como Polishop, Amway, Monavie e outras.

Ciclo Vicioso do Marketing do Bem 

Em todas estas empresas o distribuidor está preso a um ciclo vicioso de compra de produtos os quais ele tem que comprar mesmo se não tiver pra quem vender, caso contrário ele não ganha seus bônus da empresa, de forma resumida ocorre o seguinte:

Mês 1: compra estoque – vende

Mês 2: 
compra estoque – vende

Mês 3: compra estoque – vende

E se não tiver ou acabar o seu Capital de Giro?

Enfim, após uns 3 a 6 meses deste ciclo mais de 90% acabam desistindo e assumem o prejuízo. Pergunto, pode algo assim, ser considerado Marketing do Bem?

Conclusão – Existe Marketing do Bem?

Marketing do Bem, Existe?

O que podemos concluir com certeza é que na verdade o interesse por trás do tal Marketing do Bem é promover as empresas tradicionais em detrimento de toda empresa nova com proposta diferenciada que aparecer, tudo isso é claro por medo de perder seus distribuidores.

Isto mostra um outro ponto muito interessante, se as empresas do Marketing do Bem tem planos e sistemas tão bons, então porque quando surgem Marketings novos com propostas inovadoras  entram muitos distribuidores Top das empresas do Marketing do Bem nestes negócios, inclusive presidentes? A resposta é simples:

Estas empresas realmente não são tão interessantes e tão boas, se o fossem os líderes não procurariam outras oportunidades…

Para dizer a verdade é muita pretensão dizer que qualquer Marketing seja do Bem, mesmo porque tudo depende também do perfil de cada pessoa, não é todo mundo que vai ter sucesso com o mesmo produto ou serviço, é muito difícil ter um sistema de Marketing que possa ser trabalhado com sucesso por qualquer pessoa.

Eu diria que só será possível afirmar que uma empresa é do Marketing do Bem de verdade quando não existir taxa de adesão e mesmo assim as pessoas possam auferir ganhos mesmo que menores do que aquelas que entrarem comprando algum kit que permita maiores ganhos. Além disso também é preciso ser uma empresa que tenha um produto ou serviço que seja acessível a toda população independente de perfil e renda. Quando isto acontecer aí sim, finalmente teremos uma verdadeira empresa do Marketing do Bem!


2 Respostas para “Marketing do Bem?”

  1. Susana disse:

    Respeito sua opiniao amigo. Mas irei gentilmente discordar: Sim! ainda existe marketing do bem!

    Vale lembrar que todas as empresas do marketing do bem são de comprovada sustentabilidade, idoneidade e não irão quebrar de uma hora para outra e sumir com o investimento das pessoas. Como aconteceu com uma horrenda frequencia em 2013. Fato este que até respingou sujeira nas empresas sérias.

    Estas empresas possuem sede em nosso país. Recolhem os impostos, fornecem informes de rendimentos para fazermos nossa declaraçao de imposto de renda. Seus responsáveis sao conhecidos. Sao poucas as empresas que trabalham nestes moldes! Se não é assim, nao oferece confiabilidade.

    Temos de um lado as pirâmides e as empresas do marketing do bem. Se nao pudermos confiar nem nas empresas sérias vamos partir para o extremismo de acreditar que Multinível nao funciona. O que nao é verdade !

    Não nego que as informações, números e estatisticas acima estejam errados. Mas podemos analisa-los de outro ponto de vista.

    Exemplo: voce esta correto quando diz que 90% das pessoas fracassam no multinivel. E isso é a mais pura verdade! Da mesma forma que NÃO EXISTE nenhuma atividade humana que exija superação há um grande percentual de pessoas de sucesso.

    Na sua escola, a maioria eram bons alunos?

    No seu trabalho, todos são bons profissionais?

    Numa competição esportiva, todos possuem nível para estar em primeiro?

    A resposta para todas estas perguntas é NÃO! Apenas a MINORIA! E no Multinivel nao podia ser diferente.

    Ainda seremos um mercado de minorias. Pois as pessoas possuem desejos e motivações diferentes. Nem todas estao prontas para sair de sua zona de conforto. Pois nossa industria é exigente ao extremo e apenas profissionais muito bons podem se manter no negocio.

    Nem todas as pessoas nasceram para vender produtos. A maioria de nós odeia até o verbo VENDER. Nao irao girar produtos de maneira nenhuma, sendo assim, não possuem o perfil adequado para estarem neste segmento e irao acabar desistindo, como muitas pessoas desistem de praticamente tudo na vida! Todos os dias alguem está desistindo de algo.

    Por que é que as empresas do marketing do bem permanecem anos e décadas no mercado com gráficos apontando crescimento? Como isso é possivel? Como acontece? Voce nao concordaria que se fosse um mercado destinado ao fracasso as empresas quebrariam e o multinivel seria criminalizado?

    Eu respondo: tudo isso é possivel apenas porque estas empresas giram produtos e possuem distribuidores de sucesso. Aqueles 10% ou 5%, se formos contabilizar as pessoas com estabilidade financeira na terra a estatistica seria aproximadamente esta mesmo.

    Nao nego que há gargalos neste segmento. Nao nego os problemas apontados. Mas também sei que há uma saída para cada uma dessas dificuldades citadas. De um lado temos um problema e de outro temos a solução. Cabe ao empreendedor achar esta conexão.

    70 anos sao mais que suficientes para atestarmos a eficácia de um mercado nao? Pois é amigo! Temos Multinivel desde a década de 40. Há boas e más empresas. Mas continua sendo uma excelente oportunidade de negocios e continuará sendo pelas proximas décadas.

    • Daniel disse:

      Oi Susana,

      Eu não estou dizendo que o MMN não funciona, funciona sim, mas em minha opinião não existe isto de Marketing do Bem pois tudo depende do negócio e perfil de cada pessoa…

      Agora em relação a sustentabilidade que você mencionou e crescimento, eu concordaria com você se fosse comprovado que este crescimento é devido a venda de produtos para “Fora da Rede”, porém você sabe que isto não é assim…A maioria das vendas são feitas dentro da rede, ou seja, para pessoas de dentro do negócio que precisam consumir um valor X por mês, se não fosse por isso o tal crescimento não ocorreria como descreveu acima…

      Abraços,

      Daniel Grecco

Faça um comentário